Últimas Notícias

Mais de 6 mil filhotes de quel√īnios s√£o soltos, no Amazonas

No Amazonas, atualmente, existem cerca de 138 √°reas de reprodu√ß√£o de quel√īnios, em 10 calhas de rio, que recebem algum trabalho de prote√ß√£o (Foto: Alex Pazuello/Agecom)Mais de 6 mil filhotes de quel√īnios foram soltos na comunidade de Nossa Senhora do Livramento, na Reserva de Desenvolvimento Sustent√°vel (RDS) do Uatum√£, situada nos munic√≠pios de Itapiranga e S√£o Sebasti√£o do Uatum√£, no Amazonas. A a√ß√£o aconteceu no domingo (24).

Em quinze anos de projeto, cerca de 120 mil filhotes das esp√©cies tartaruga-da‚ÄďAmaz√īnia (Podocnemis expansa), tracaj√° (P.unifilis), ia√ß√° (P. sextuberculata) e irapuca ou capir√£ (P. erythocephala) foram soltos. A meta para 2013 √© soltar 24.444 filhotes somente na RDS do Uatum√£, como esclarece o coordenador do Centro de Preserva√ß√£o e Pesquisa de Quel√īnios Aqu√°ticos (CPPQA), Paulo Henrique Oliveira. “Percebemos um aumento n√≠tido de algumas esp√©cies de quel√īnios. Ap√≥s 15 anos de projeto, o que pretendemos fazer a partir de agora √© um trabalho de marca√ß√£o dos animais, al√©m de melhorar a quest√£o de educa√ß√£o ambiental nas escolas e comunidades’, disse.

Tradicionalmente, o evento de soltura ocorre como forma de finalizar o monitoramento sazonal de quel√īnios. Durante o dia, s√£o realizadas atividades educativas e esportivas para envolver e sensibilizar os comunit√°rios na tem√°tica de conserva√ß√£o de quel√īnios. Fazem parte do evento todas as comunidades que monitoram as praias e outras que queiram participar das atividades l√ļdicas, envolvendo cerca de 400 pessoas. Na RDS do Uatum√£ o trabalho √© realizado nos complexos de lagos do Calabar, Maracarana e Jaraoac√°, no Rio Uatum√£, envolvendo as comunidades Bela Vista, Maracarana e Nossa Sra. do Livramento, al√©m de outras praias nas comunidades Caio√© Grande e Jacarequara.

Segundo a coordenadora do Ceuc, Therezinha Fraxe, o monitoramento e prote√ß√£o das praias √© acompanhado de perto pelos t√©cnicos do Programa de Monitoramento da Biodiversidade e do Uso dos Recursos Naturais (ProBUC) na RDS do Uatum√£. “O trabalho visa a participa√ß√£o efetiva das comunidades em todas as fases do processo, desde a identifica√ß√£o dos ninhos, coleta dos filhotes ap√≥s o nascimento, crescimento no ber√ß√°rio at√© a soltura, finalizando com um dia de educa√ß√£o ambiental e entretenimento para os moradores”, detalhou Fraxe.

Em quinze anos de projeto, cerca de 120 mil filhotes das esp√©cies tartaruga-da‚ÄďAmaz√īnia (Podocnemis expansa), tracaj√° (P.unifilis), ia√ß√° (P. sextuberculata) e irapuca ou capir√£ (P. erythocephala) foram soltos (Foto: Alex Pazuello/Agecom)H√° 10 anos, o agricultor Adalberto de Almeida, 55, √© um dos moradores da comunidade de Nossa Senhora do Livramento que dedica a vida √† quest√£o ambiental. “Aprendemos a amar e a conviver com estes bichos (quel√īnios). √Č importante ter paci√™ncia e passar aquilo que aprendemos √†s outras pessoas”, disse.

√Āreas de reprodu√ß√£o
O coordenador do ProBUC, Pedro Leit√£o, explica que no Amazonas, atualmente, existem cerca de 138 √°reas de reprodu√ß√£o de quel√īnios, em 10 calhas de rio, que recebem algum trabalho de prote√ß√£o, principalmente de ninhos e filhotes.

“A maioria dessas √°reas √© protegida pelo trabalho de comunidades locais interessadas na manuten√ß√£o deste recurso natural. Nessas localidades as a√ß√Ķes de educa√ß√£o ambiental est√£o incorporadas nas atividades das escolas dos munic√≠pios das √°reas de atua√ß√£o, com a√ß√Ķes de interdisciplinaridade e transversalidade integrantes dos programas de ensino fundamental e m√©dio na regi√£o”, afirmou.

As a√ß√Ķes envolvem ainda a busca pela inclus√£o social, por meio do trabalho com professores e alunos com necessidades especiais, e a organiza√ß√£o e apoio aos grupos de idosos em cada munic√≠pio.

http://g1.globo.com


Estimulamos o debate suadável. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato