Últimas Notícias

Critérios para povoamento de peixes são estabelecidos em MS

piscicultura-tanque-redeVisando estabelecer critérios para o povoamento e repovoamento de peixes nos rios de Mato Grosso do Sul, possibilitando ainda aos interessados o acesso a projetos, pareceres e estudos para a soltura de alevinos, os deputados Diogo Tita (PPS), Marquinhos Trad, Jerson Domingos e Maurício Picarelli, ambos do PMDB, apresentaram projeto de lei sobre a questão na sessão desta terça-feira (12/3).

Segundo os parlamentares, a atividade de povoamento e repovoamento de peixes nos recursos hídricos naturais do território sul-mato-grossense deverá feita mediante prévio licenciamento ambiental. Por isso, ficará proibida a utilização de espécies exóticas e/ou espécies não originárias da bacia hidrográfica objeto de licenciamento, efetuando-se a recomposição da fauna com espécies nativas (autóctones).

Para o lan√ßamento de alevinos nos rios estaduais, ser√° obrigat√≥rio o cumprimento das normas expressas na legisla√ß√£o aqu√≠cola vigente. O governo do Estado tamb√©m determinar√° a promo√ß√£o de concurso p√ļblico destinado √† escolha de projetos vi√°veis para a recupera√ß√£o dos rios sul-mato-grossenses.

Por conta disso, o Executivo firmará convênios com as universidades localizadas em Mato Grosso do Sul e que tenham projetos de aquicultura e pesca. O Estado, conforme os deputados, deverá fornecer gratuitamente, estudos, pareceres e projetos aos interessados na soltura dos alevinos para o repovoamento dos rios.

A gratuidade dos pareceres, estudos e projetos não será observada àqueles que requererem a soltura dos alevinos para fins de comercialização. O Estado a título de fomento poderá adotar a política de incentivos fiscais aos interessados na execução da respectiva proposta, de acordo com os parlamentares.

A medida de repovoamento de peixes √© de extrema import√Ęncia, apontam os autores do projeto, devido √† necessidade constante de proteger a fauna sul-mato-grossense, fundamentalmente sob o aspecto da expans√£o de peixes por meio do repovoamento dos rios de Mato Grosso do Sul, atingindo com isso atividade da pesca exercida no Estado.

A aquicultura é uma atividade economicamente viável e ecologicamente sustentável. Do ponto de vista ambiental, a piscicultura se apresenta como uma alternativa de consumo de proteína de alto valor biológico, diminuindo assim a pressão sobre a pesca predatória. No aspecto técnico, avaliam os deputados, um hectare de água produz entre 7 e 12 toneladas de pescado por safra, que, dependendo do manejo do cultivo, pode produzir uma safra por ano e, inclusive, em menor período de tempo.

O sistema de cultivo de maior intensidade por volume de √°gua se utiliza de tanques-rede ou gaiolas flutuantes, que podem ficar nos rios ou a√ßudes. Esse sistema requer acompanhamento t√©cnico especializado. Dessa maneira, em lugares onde existe super explora√ß√£o dos recursos pesqueiros, pretende-se sua recupera√ß√£o atrav√©s do manejo pesqueiro comunit√°rio. Essa estrat√©gia, argumentam os autores, poder√° permitir manter as fontes de trabalho e turismo de in√ļmeras comunidades que vivem da pesca.


Estimulamos o debate suadável. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato