Últimas Notícias

Ministérios da Pesca e do Esporte desenvolvem parcerias

parceria-ministerio-da-pesca-e-esportesCom o objetivo de incentivar o consumo de pescado, o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) quer aproveitar os grandes eventos esportivos programados para o Pais – como a Copa do Mundo e os jogos olímpicos em 2016 no Rio de Janeiro – para desenvolver campanhas públicas que levem em conta, de forma criativa, este hábito alimentar.

Para tratar do assunto, o ministro da Pesca e Aquicultura em exercício, Átila Maia, se encontrou com o seu colega Aldo Rabelo, ministro do Esporte, na tarde desta terça-feira (23), em Brasília. A proposta da parceria é aproveitar atletas e provas para mostrar como o pescado ajuda a manter a forma dos profissionais do esporte.

Consumo crescente
No Brasil o consumo de pescado representa apenas a metade do que se registra no mundo. Aqui o consumo é da ordem de 9 quilos por habitante/ano, quando a média mundial gira em torno dos 18 quilos. Entretanto, o consumo interno cresce ano a ano, o que é muito bom, já que o peixe é a proteína animal mais saudável e recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O maior consumo favoreceria também a produção brasileira de pescado em grandes reservatórios públicos, no litoral e nas propriedades rurais.

Parceria
A parceria entre os ministérios da Pesca e Aquicultura e do Esporte se estende a outras áreas. Um exemplo disso é a manifestação de apoio do ministro Aldo Rebelo para a proposta do MPA de aproveitar até 0,5% dos reservatórios públicos para a produção de pescado, sem a necessidade de licenciamento ambiental. A proposta leva em conta que a produção será monitorada passo a passo, para garantir a total qualidade das águas dos reservatórios.

A ideia, defendida pelo MPA, permitiria que o País superasse as enormes barreiras ao aumento da produção nacional de pescado. Apesar de deter 13% da água doce do planeta e de contar com um litoral extenso, o País ainda produz muito pouco pescado em relação ao seu potencial. Como existem 200 grandes reservatórios públicos disponíveis para a piscicultura, a isenção do licenciamento ambiental para até 0,5% da lâmina d’água daria enorme incentivo à atividade.

A exemplo dos demais ministérios, o do Esporte tem assento no Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), onde o tema será oportunamente tratado.

http://www.mpa.gov.br


Estimulamos o debate suadável. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato