Últimas Notícias

Peixes estão morrendo em Santos por causa do excesso de açúcar no mar, diz bióloga

peixes mortos no porto de SantosNos últimos dias, milhares de peixes estão aparecendo mortos no canal do Estuário entre Santos e Guarujá, no litoral de São Paulo. Segundo uma bióloga de Santos, o mar não foi contaminado, mas o açúcar que caiu na água, após um incêndio no porto santista, não faz parte da alimentação dos peixes.

A bióloga Thais Santos explica que os peixes ingeriram um produto que não é um alimento natural deles. “O açúcar é um produto natural, ele não é um agente químico, não foi nenhum composto químico, tóxico, que caiu no ambiente e acabou degradando. Ele é um composto natural, mas ele não faz parte do canal do porto, da alimentação dos animais que vivem ali. Esse excesso de alimento que não faz parte da dieta natural pode causar a mortalidade dos peixes”, explica.

Os pescadores estão preocupados porque não conseguem sair para o mar para a pescaria. Em Guarujá, são quase 2 mil trabalhadores. “Não temos um lugar para pescar porque a nossa pescaria era aqui. Era onde a gente tirava o pão nosso de cada dia. Está difícil para a gente& #8221;, reclama o pescador Claudio Eduardo da Silva.

Segundo a bióloga, os efeitos do acidente ainda serão sentidos durante os próximos meses. Mas, os peixes costumam fugir de ambientes desfavoráveis e esse pode ser o motivo da queda na pescaria. “Quando tem um incidente grande como esse, os peixes saem dessa região e procuram áreas melhores para o seu desenvolvimento, que não tenham tanto risco, condições ideais de oxigênio, temperatura, níveis de poluição”, finaliza.

Incêndio
Incêndio de grandes proporções destrói armazéns no Porto de Santos. Segundo informações da Prefeitura de Santos, pelo menos três pessoas ficaram feridas após a explosão dentro de um dos armazém e foram encaminhadas para o Pronto Socorro Central. (Foto: Ricardo Nogueira/AFP)As pessoas que trabalhavam no Porto de Santos ouviram uma grande explosão por volta das 6h desta sexta-feira (18). O fogo atingiu seis armazéns de açúcar e deixou quatro funcionários feridos.

O incêndio, que já é considerado o maior da história do porto santista. A área atingida, de 40 mil metros quadrados, é da Copersucar, maior exportadora de açúcar do Brasil. Segundo a empresa, o incêndio atingiu cerca de 180 mil toneladas de açúcar bruto. Os bombeiros precisaram de 60 homens e um helicóptero para controlar o incêndio. As causas ainda não são conhecidas e estão sendo investigadas. Peixes mortos em Vicente de Carvalho, em Guarujá.

Impactos econômicos e ambientais
O incêndio no Porto de Santos provocou o aumento do preço do produto no mercado internacional. Segundo a empresa, as toneladas do produto que foram perdidas correspondem a um prejuízo de R$ 78 milhões.

Por causa do acidente, o preço do açúcar subiu 2,6% em Nova York e 3% em Londres. O Brasil é o maior exportador responsável por 23% da produção mundial de açúcar. Tudo que acontece no país pode mexer com as cotações do mercado internacional. A destruição de 180 mil toneladas do produto equivale a quase cinco dias de exportação.

Centenas de peixes apareceram mortos, na manhã do sábado (19), no canal do Estuário entre Santos e Guarujá, no litoral de São Paulo. De acordo com o secretário de Meio Ambienta de Guarujá, Elio Lopes, os peixes podem ter morrido por conta de um impacto ambiental que ocorreu devido aos efluentes líquidos gerados durante o combate ao incêndio dos armazéns da empresa Coopersucar. Os peixes mais afetados foram os bagres e baiacus, já que a água deve ter descido na parte mais profunda do Estuário, onde habitam essas espécies marinhas.

http://g1.globo.com


Estimulamos o debate amistoso. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato