Últimas Notícias

Agricultura libera R$ 400 mil para pesquisa do setor pesqueiro marinho

investimento setor pesqueiro maritimoA Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, o Sindicato dos Armadores de Ind√ļstrias da Pesca de Itaja√≠ e Regi√£o (Sindipi) e a Secretaria Regional de Desenvolvimento (SDR) de Itaja√≠ assinaram conv√™nio que viabiliza o repasse de R$ 400 mil para a realiza√ß√£o de pesquisas pesqueiras, produzidas atrav√©s da coleta de dados junto √† frota industrial de pesca de Santa Catarina. A pesquisa deve ser realizada anualmente.

O an√ļncio da libera√ß√£o dos recursos foi feito pelo secret√°rio da Agricultura e da Pesca, Jo√£o Rodrigues, ainda em outubro. A solenidade de assinatura, realizada nesta quarta-feira, 13, contou com a presen√ßa de pescadores e do presidente do Sindipi, Giovani Monteiro; do secret√°rio regional, Claudir Maciel; e do diretor de Pesca e Aquicultura da Secretaria da Agricultura e da Pesca, Jos√© Marcatti. ‚ÄúEssa parceria entre o governo do Estado e o Sindipi √© in√©dita e muito positiva. √Č preciso ressaltar que quem tornou isso poss√≠vel foi o secret√°rio de Estado da Agricultura e da Pesca, Jo√£o Rodrigues‚ÄĚ, declarou o presidente do Sindipi, Giovani Monteiro.

Santa Catarina √© o maior produtor nacional de pescado marinho, sendo que a pesca industrial responde por 136 mil toneladas e a pesca artesanal por 14 mil toneladas, totalizando 150 mil toneladas ao ano. Para manter essa posi√ß√£o e atualizar os dados oficiais sobre a produ√ß√£o pesqueira, a Secretaria da Agricultura e da Pesca repassou ao Sindipi R$ 400 mil para contrata√ß√£o de pesquisa estat√≠sticas do setor, explica Marcatti. ‚ÄúA import√Ęncia destes dados que ser√£o coletados durante a pesquisa √© para manter o estado l√≠der do setor e facilitar acessos aos programas do Governo Federal‚ÄĚ, destacou Rodrigues.

O presidente do Sindipi, Giovani Monteiro, agradeceu ao governo do Estado e lembrou a parceria existente para o desenvolvimento do setor. Monteiro relatou que o Sindipi possui atualmente aproximadamente 300 associados (entre armadores e ind√ļstrias) que juntos geram cerca de 30 mil empregos diretos e 70 mil indiretos, e que Itaja√≠ e Navegantes abrigam as maiores ind√ļstrias de processamento de pescados do Brasil e representam o maior polo pesqueiro do Brasil (produ√ß√£o e beneficiamento). As informa√ß√Ķes da pesquisa de estat√≠stica ser√£o obtidas nos principais portos pesqueiros do Estado por meio de fichas de produ√ß√£o, entrevistas de cais e de observadores de bordo alocados nas embarca√ß√Ķes pesqueiras. Todos os dados ser√£o mantidos no mais absoluto sigilo, sendo utilizados exclusivamente para fins de pesquisa.

A pesca em Santa Catarina
O estado de Santa Catarina √© o maior produtor nacional de pescado de origem marinha. Essa posi√ß√£o √© decorrente da importante atividade de pesca industrial sediada nos munic√≠pios de Itaja√≠ e Navegantes. Somente a regi√£o de Itaja√≠, englobando os munic√≠pios de Itaja√≠, Navegantes e Porto Belo, √© respons√°vel por cerca de 20% da produ√ß√£o nacional de pescado, concentrando as opera√ß√Ķes de descarga de mais de 600 embarca√ß√Ķes de porte industrial, sendo assim considerada o principal polo pesqueiro do Brasil.

No contexto estadual, essa regi√£o contribui com 90,95% dos empregos no setor pesqueiro, representando 3.016 trabalhadores, sediando um significativo numero de empresas que est√£o, de forma direta ou indireta, ligadas a atividade da pesca. O arranjo produtivo do setor pesqueiro do litoral centro-norte catarinense constitui-se basicamente por tr√™s segmentos de atividades: a captura, o beneficiamento do pescado e a constru√ß√£o naval e reparos de embarca√ß√Ķes. √Č tamb√©m respons√°vel por in√ļmeros empregos indiretos, como por exemplo, os fornecedores de produtos usados nos processos da pesca, como redes, combust√≠veis, gelo, insumos, al√©m da ind√ļstria aliment√≠cia, a partir do processamento do pescado.


Estimulamos o debate amistoso. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato