Últimas Notícias

Após críticas, Japão defende pesca e matança de golfinhos em vilarejo

Imagem divulgada pela Reuters mostra pescadores capturando golfinhos no vilarejo de Taiji, no Japão. (Foto: Adrian Mylne/Reuters) Um porta-voz do governo do Japão defendeu no início desta semana a pesca anual de golfinhos realizada no vilarejo de Taiji, após críticas de ambientalistas e da embaixadora americana no país asiático, Caroline Kennedy, à prática, que consiste na captura e morte de exemplares desses mamíferos para comercialização de sua carne.

Nos últimos dias, novas imagens divulgadas mostram pescadores cercando golfinhos em uma enseada com a ajuda de redes. De acordo com a organização não-governamental Sea Shepherd, desde setembro já foram mortos aproximadamente 250 espécimes. Os ativistas afirmam que é uma das maiores matanças registradas nos últimos quatro anos.

De acordo com o Yoshihide Suga, porta-voz do governo japonês, a captura desses mamíferos acontece de forma apropriada e dentro da lei. “A pesca [de golfinhos] é uma cultura tradicional em nosso país. Vamos explicar nossa posição aos americanos”, disse ele, em resposta à embaixadora.

Golfinhos na rede de pesca se debatendo. Ao fundo a água já vermelha de sangue (Foto: Adrian Mylne/Reuters)No último sábado (18), Caroline Kennedy escreveu em sua conta no Twitter que estava profundamente preocupada com os atos desumanos cometidos contra os animais durante a caçada. Ela acrescentou ainda que os EUA se opõem à prática.

A pesca de golfinhos em Taiji é alvo de críticas há anos e já foi tema do documentário “The cove” (A enseada, na tradução do inglês), produzido em 2009 e que ganhou o Oscar em 2010.

Os pescadores afirmam que a prática é parte de sua tradição e chamam os críticos estrangeiros de hipócritas, alegando que eles consomem outros tipos de carne.


Estimulamos o debate amistoso. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato