Últimas Notícias

Policia ambiental fiscaliza balneários do Rio Jacuí no RS

Policia Ambiental recolhe rede de pesca durante fiscalizacao  (Foto Divulgação: Patram-RS) O Comando Ambiental da Brigada Militar realizou no último fim de semana, fiscalização ambiental nas águas internas no Município de Rio Pardo, nos Balneários de Porto Lambari, Porto das Mesas, Porto Ferreira, Praia dos Ingazeiros, Santa Vitória e Barragem de Don Marco, no Rio Jacuí. A finalidade da fiscalização foi o atendimento de denúncias realizadas por veranistas e moradores dos balneários dando informações sobre a grande incidência de pesca predatória neste período de piracema.

Três embarcações da PATRAM percorreram cerca de 100 Km do Rio Jacuí localizando petrechos de pesca, apreendendo mais de 2 mil metros de redes e espinhéis, que povoavam ilegalmente e impactavam o recurso hídrico, tendo sido encontrados capturadas nas redes várias espécies de peixes, dentre as quais piavas, traíras, carás, cascudos, pintados, jundiás, lambaris e grumatãs. Dos espécimes vivos encontrados foi feito a soltura para repovoamento do espécime e os mortos foram lançados novamente no ambiente aquático.

Foram localizadas redes de pesca do tipo “feiticeira” cujo poder de captura é bastante impactante, pois propicia o enlace de diversas espécies e de variados tamanhos, devido à pluralidade de suas malhas. Tal petrecho de pesca é considerado a rede com maior poder predatório encontrado nos rios da região.

Redes de pesca apreendidos pela policia ambiental durante a fiscalizacao (Foto Divulgação: Patram-RS)Neste período do ano vivemos a piracema, época de reprodução dos peixes, motivo pelo qual há proteção das espécies sendo proibida a pesca com petrechos do tipo rede, espinhéis, tarrafas, covos e outros, pois permitem a captura em massa.

O Comando Ambiental orienta que no período da piracema só pode haver pesca livre, na Bacia do Rio Jacuí, com linha de mão e caniço, para molinetes e carretilhas deve ser feito a licença para pesca amadora, devendo ser observado o tamanho mínimo para cada espécie, e nos casos de pescadores profissionais necessário é o registro de pesca, bem como há necessidade de habilitação, para a condução de embarcações com motor.

Afirma o Coronel Ângelo Silva – Comandante do Comando Ambiental da Brigada Militar que Comandou a Operação, que a rede de pesca só pode ser usada pelo profissional de pesca, e nos períodos autorizados, sendo vedada a utilização por veranistas e população em geral.

A Brigada Militar solicita que sejam denunciados os casos de pesca ilegal, assim como quaisquer outros crimes ambientais que afetem o meio ambiente. O contato para denúncia pode ser feito através do telefone 190 em qualquer município do Estado.


Estimulamos o debate amistoso. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato