Últimas Notícias

Queda de nível do Rio Grande provoca mortandade de peixes

Peixes foram encontrados mortos no Rio Grande (Foto: Ana Carolina Zanoli Zegrine)A falta das tradicionais chuvas de começo do ano já começam a ter impacto nos rios que cortam o Sul de Minas. O Rio Grande, em Ribeirão Vermelho (MG), está muito abaixo do nível normal para esta época do ano. Com a falta de água, a oxigenação diminuiu e os peixes estão morrendo ao longo do rio. Na quarta-feira (8), centenas de peixes foram encontrados mortos no leito do rio. No local, foram encontradas espécies de tilápias e dourados.

O Rio Grande nasce na Serra da Mantiqueira, no município de Bocaina de Minas (MG) e desagua no Rio Paraná, na divisa com o estado de São Paulo. Ao longo dele, existem 13 barragens. Nesta época do ano, na barragem de Camargos, por exemplo, era para estar começando a encher por causa do período chuvoso. No entanto, desta vez a situação está bem diferente.

Atualmente, a represa está 903 metros acima do nível do mar, o que corresponde a 22% da capacidade total, que é de 913 metros. Há um ano, ela estava a quatro metros acima do nível atual. Até julho do ano passado, o volume elevou e quase atingiu a capacidade máxima do reservatório, chegando a ficar com 912 metros. De lá para cá, o volume caiu a cada mês e fechou o ano com 904 metros. Com o volume reduzido, a preocupação agora é com a qualidade da água.

Nível do Rio Grande preocupa produtores e comerciantes de Ribeirão Vermelho (Foto: Reprodução EPTV / Erlei Peixoto)Atualmente, a represa está 903 metros acima do nível do mar, o que corresponde a 22% da capacidade total, que é de 913 metros. Há um ano, ela estava a quatro metros acima do nível atual. Até julho do ano passado, o volume elevou e quase atingiu a capacidade máxima do reservatório, chegando a ficar com 912 metros. De lá para cá, o volume caiu a cada mês e fechou o ano com 904 metros. Com o volume reduzido, a preocupação agora é com a qualidade da água.

A falta de água já começa a afetar produtores rurais e comerciantes que vivem do turismo na região. As represas estão cheias de galhos e com muita lama, o que dificulta a navegação. O caseiro Walter Raimundo, que cuida de oito casas de veraneio em Itutinga, diz que a situação tem afastado os turistas.

“É muito triste né. A pessoa vem e volta revoltada porque não sabia que estava desse jeito”, comenta o caseiro.

Rio Sapucai e Lago de Furnas

Rio SapucaiNo Rio Sapucaí, próximo a Itajubá (MG), o nível está 3,5 metros abaixo do normal. O nível normal do Rio Sapucaí é de 842,5 metros, mas atualmente está em 839 metros. De outubro a março deste ano, são esperados cerca de 1,5 mil milímetros de chuva, mas até agora choveu apenas 350 milímetros, em média. Segundo a Somar Meteorologia, só neste mês de janeiro choveu cerca de 47 milímetros até esta terça-feira (14), quando o esperado era mais de 230 mm.

No Lago de Furnas, onde desaguam as águas do Rio Grande e do Sapucaí e que tem a maior usina de produção de energia elétrica da região, o nível ainda não voltou ao normal depois da grande seca de 2012. Atualmente, o nível da represa está sete metros abaixo da cota máxima.

http://g1.globo.com


Estimulamos o debate amistoso. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato