Últimas Notícias

Sema apreende 105 kg de pescado no MT

Pescado apreendido pela Sema no MSEm fiscalização realizada no último fim de semana, foram apreendidos 105,25 kg de pescado transportados irregularmente na região da Baixada Cuiabana. No sábado (28), a equipe de fiscalização da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) autuou em flagrante um motorista que transportava 33,8 kg de pescado do município de Barão de Melgaço para Cuiabá sem qualquer documentação, nem procedência. A abordagem foi realizada durante uma barreira na MT-040, próximo a Santo Antônio de Leverger.

No domingo (29), a equipe apreendeu mais 71,450 kg no posto fiscal da Transpantaneira, a 17 km de Poconé, na região conhecida como ‘Porteirão’. Neste caso, além do total estar acima da cota diária permitida, também houve crime ambiental, já que o motorista transportava vários exemplares de peixe, como pacu e pintado, fora da medida permitida pela legislação ambiental. No montante também havia outras espécies que não estavam fora da medida. O homem foi conduzido à Delegacia de Poconé, mas liberado mediante fiança.

Conforme a fiscal da Coordenação de Fiscalização da Pesca da Sema, Valéria Milani, em um primeiro momento, esse motorista alegou que ele mesmo e outras três pessoas tinham ‘pescado’ o total, porém, quando viu que mesmo apresentando a carteira de pescador profissional de outras pessoas a apreensão aconteceria e com agravante, em razão dos exemplares fora da medida, admitiu que havia comprado de um pescador profissional da região e assumiu sozinho a responsabilidade.

Em ambos os casos os peixes foram doados, a primeira apreensão, para o Hospital Municipal de Santo Antônio do Leverger, a segunda apreensão, para a Casa do Menor e o Abrigo dos Idosos de Poconé.

Sobre a liberação da pesca e as regras
Mesmo com a liberação da pesca a partir de 1º de março nos rios de Mato Grosso (Bacias Araguaia-Tocantins, Paraguai e Amazonas), os pescadores amadores devem obter Carteira de Pescador Amador, que é obrigatória e têm cota de 5 quilos. Já os pescadores profissionais devem fazer seu registro em uma colônia de pesca da sua região, com cota de 125 quilos de pescado por semana.

A captura, comercialização e transporte do dourado (Salminus brasiliensis) estão proibidas. O produto decorrente da pesca não poderá ser comercializado. Não são permitidos apetrechos de pesca, como tarrafa, rede, espinhel, cercado, covo, pari, fisga, gancho, garateia pelo processo de lambada e substâncias explosivas ou tóxicas, e equipamento sonoro, elétrico ou luminoso.


Estimulamos o debate amistoso. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato