Últimas Notícias

Fiscais combatem pesca predatória e apreendem covos no Rio São Francisco em AL

Apreensao de covos no Sao Francisco em AL 2A Equipe Aquática da Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco realizou, nesta segunda-feira (25), a maior apreensão de covos (armadilhas) desta edição do programa. Foram 1.350 unidades confeccionadas com tela plástica ou talas, cujo espaçamento era inferior ao que a lei permite.

Na ocasião, também ocorreu a soltura de 5.200 espécimes de camarões e peixes. Os infratores não foram localizados.

Para realizar as ações dentro do São Francisco, a Equipe Aquática conta com embarcações do Instituto do Meio Ambiente (IMA) e da Marinha do Brasil, esta, por meio da Agência Fluvial de Penedo, que também cedeu um jetski. Com essa estrutura, os integrantes da FPI do São Francisco fizeram inspeção naval em 13 embarcações.

Entre elas, encontravam-se nove lanchas de transporte de passageiros, duas lanchas de esporte e recreio, uma balsa e uma canoa tipo rabeta. Duas embarcações foram notificadas e uma acabou sendo lacrada.

“O combate à pesca predatória foi intensificada durante a FPI nas localidades visitadas, onde a equipe realizou, ao longo dos últimos dias, o recolhimento de 4.000 covos ilegais utilizados para a captura de camarões e pitus. Esses petrechos ilegais geram um grande impacto à biota local, visto que os espécimes de crustáceos são capturados na sua fase juvenil, não alcançando a maturidade reprodutiva.

Apreensao de covos no Sao Francisco em ALNo trecho do Rio São Francisco próximo a cidade de Pão Açúcar foram recolhidas 3.500 metros de rede com malha inferior ao permitido”, detalhou o chefe do Setor de Fiscalização do Ibama, Rivaldo Couto, um dos principais nomes do combate à pesca predatória na operação.

Rivaldo também afirmou que um grande diferencial desta etapa da FPI foi a realização de sete flagrantes por crimes de pesca e porte de armas de fogo ilegais, que rendeu a condução de seis pescadores às delegacias regionais de Penedo e Batalha. “O combate à pesca ilegal durante as ações da Fiscalização está cada vez mais consolidado, com resultados significativos, ainda mais com a dissuasão dos crimes relacionados com a atividade pesqueira. Com isso, o programa contribui para a melhoria da qualidade ambiental e a redução do esforço de pesca fora das normas legais”, completou.

MPE – AL


Estimulamos o debate suadável. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato