Últimas Notícias

Crime contra onça preta é ignorado pela PF, IBAMA e poder Judiciário

Onca preta morta a remadas no MSNo início do mês de maio, veio a público um vídeo onde um grupo composto por quatro pessoas agridem um casal de onças pretas, matando um dos animais que tentavam atravessar um rio, passados quase dois meses, as investigações estão paradas. (Assista o vídeo)

O vídeo teve tanta repercussão que na ocasião, canais de TV publicaram matérias sobre o assunto, e nas redes sociais, um defensor dos animais, chegou a oferecer uma recompensa no valor de R$ 5.000,00 para quem trouxesse informações relevantes que poderiam identificar os agressores.

Assim que as imagens da agressão começaram a ser compartilhadas, o Ibama abriu um protocolo de nº 5373/2015 que foi encaminhado à Coordenação Geral de Fiscalização Ambiental do Ibama – CGFIS a fim de investigar a ação dos agressores.

Dias depois, o operador de turismo Reginaldo Sucuri, protocolou uma denúncia na Policia Federal da cidade de Dourados-MS sob protocolo de n° 08.337.001738/2015-99 DPF/DRF/MS com informações colhidas através de denúncias feitas por pessoas que teriam informações a respeito dos envolvidos na agressão.

pesquisa_de_andamento_de_processo_na_PF

A partir dai, o caso foi encaminhado para a Policia Federal em Brasília e também ao ministério público para que as investigações fossem realizadas, porém, o caso se encontra parado e ainda sem solução. Segundo algumas informações, já é de conhecimento da PF, alguns nomes dos envolvidos e o estado onde o crime ocorreu, porém nada é feito.

A morosidade na identificação dos agressores mostra que a impunidade no Brasil ainda é grave e que em casos de crimes ambientais, pouco é feito no sentido de se cumprir a lei e punir com rigor pessoas que não se intimidam e debocham da falta de ação policial.


Deixe o seu Comentário - Dúvidas e perguntas envie um email para contato@pescamadora.com.br