Últimas Notícias

Policia Civil investiga crime de maus tratos contra Sucuri no interior de SP

Policia investiga crime de maus tratos contra sucuri no interior de Sao PauloA Pol√≠cia Civil de Rosana (749 km de S√£o Paulo) abriu inqu√©rito para investigar crime de maus-tratos contra uma sucuri de aproximadamente seis metros de comprimento. O crime foi descoberto porque as fotos da captura do animal foram postadas no Facebook, o que levou o fato ao conhecimento da Pol√≠cia Ambiental, no √ļltimo domingo (20).

Nas fotos postadas na rede social, o animal aparece com uma corda amarrada no pesco√ßo e com o coment√°rio “Aqui a gente n√£o pesca piapara, pesca sucuri”. O autor da captura √© o funcion√°rio p√ļblico Rubens Lima de Macedo. Al√©m do crime de captura e maus-tratos, previstos na Lei de Crimes Ambientais, o acusado vai pagar multa de R$ 1.500.

De acordo com Luiz Henrique Martinhão Broinizzi, 44, sargento da Polícia Ambiental de Presidente Prudente (558 km de São Paulo), o suspeito precisou contar com a ajuda de outras pessoas para dominar a sucuri, mas assumiu, sozinho, a responsabilidade criminal pela captura da serpente.

“Sozinho ningu√©m domina uma animal desse. S√£o necess√°rias pelo menos quatro pessoas. A sucuri tem uma for√ßa enorme, capaz de matar um animal grande. Para imobiliz√°-la, a gente utiliza uma forquilha, na regi√£o do pesco√ßo, luvas de raspa e uma gaiola. √Č preciso treino para a captura.”

A veterin√°ria Cristiane Bilheiro Portela Maia, 33, atestou em laudo, com base nas fotos, que a cobra foi maltratada. “Ela foi retirada de seu habitat natural sem nenhuma justificativa e arrastada quil√īmetros por um barco. Isso configura uma situa√ß√£o de estresse”, disse.

Medo da cobra
Policia investiga crime de maus tratos contra sucuri no interior de Sao Paulo 2De acordo com a veterinária, o animal vivia em ilhas existentes na junção dos rios Paraná e Paranapanema, na divisa entre São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul. Depois de capturada, a cobra foi solta na praia do balneário de Rosana e deixada ali mesmo.

“Agora ela est√° fora de seu habitat e corre o risco de morte porque as pessoas que frequentam o balne√°rio est√£o com medo. As fotos divulgadas no Facebook geraram uma situa√ß√£o de fobia na popula√ß√£o”, disse.

O delegado Adilson de Carvalho, 47, titular da delegacia de Rosana, afirmou que vai investigar a prática dos crimes de captura e maus-tratos, cuja punição está prevista na Lei de Crimes Ambientais e não ultrapassa um ano de prisão.

Carvalho diz que √© a primeira vez que investiga um crime cometido contra uma cobra. “Normalmente por aqui os crimes contra a fauna mais praticados s√£o pesca ilegal e abate de capivaras.”

Uol Notícias


Deixe o seu Comentário - Dúvidas e perguntas envie um email para contato@pescamadora.com.br