Últimas Notícias

Crime contra onça preta morta a pauladas segue sem punição após um ano

Onca preta no BrasilNo in√≠cio de maio de 2015, circulou em v√°rias redes sociais um v√≠deo onde um grupo de pessoas que passavam de barco, matou a pauladas uma on√ßa preta que tentava atravessar um rio. Na √©poca, uma grande mobiliza√ß√£o para identificar os agressores, inclusive com o apelo em um v√≠deo feito por Reginaldo Sucuri que ofereceu recompensa para quem tivesse informa√ß√Ķes sobre o crime, mas mesmo com todo o esfor√ßo, nada ainda foi feito.

O apresentado “Ratinho”, chegou a fazer um apelo em rede nacional em seu programa no SBT, v√°rias m√≠dias como o jornal o extra tamb√©m publicaram a agress√£o em seus ve√≠culos, mas de nada adiantou.

Assim que as imagens da agress√£o come√ßaram a ser compartilhadas, o Ibama abriu um¬†protocolo de n¬ļ 5373/2015 que foi¬†encaminhado √† Coordena√ß√£o Geral de Fiscaliza√ß√£o Ambiental do Ibama ‚Äď CGFIS a fim de investigar¬†a a√ß√£o dos agressores.

Assista o vídeo e relembre o caso РIMAGENS FORTES

Dias depois, o¬†operador de turismo Reginaldo Sucuri,¬†protocolou uma den√ļncia na Policia Federal da cidade de Dourados-MS sob protocolo de n¬į 08.337.001738/2015-99 DPF/DRF/MS com informa√ß√Ķes colhidas atrav√©s de den√ļncias feitas por pessoas que teriam identificado alguns envolvidos na agress√£o.

O caso foi encaminhado para investigação no estado do Pará, onde teria ocorrido o crime, mas caiu no esquecimento por motivos ainda desconhecido.

A morosidade na identificação dos agressores mostra que a impunidade no Brasil ainda é grave e que em casos de crimes ambientais, pouco é feito no sentido de se cumprir a lei e punir com rigor pessoas que não se intimidam e debocham da falta de ação policial.


Deixe o seu Comentário - Dúvidas e perguntas envie um email para contato@pescamadora.com.br