Últimas Notícias

PMA apreende barco pesqueiro indígena com mais de 1 tonelada de pescado ilegal no Pantanal

Policiais Militares Ambientais de Corumbá (MS) realizaram na madrugada dessa quarta-feira (8), operação fluvial pelo rio Paraguai com o objetivo de abordar um barco pesqueiro Guató suspeito de pesca predatória. A PMA recebeu diversas denúncias de que nesta embarcação havia muito pescado que era comercializado, o qual era oriundo da pesca predatória pelos indígenas tripulantes da lancha.

Ao localizar o barco denunciado e fiscalizá-lo, os Policiais encontraram 1.097 Kg de peixes das espécies Pintado, Cachara, Palmito e Piranha que foram apreendidos por estarem fora da reserva indígena, acima da cota permitida e por haver exemplares capturados em tamanhos inferiores aos que a legislação autoriza. Os indígenas pescavam e comercializavam o pescado no Pantanal fora da área da Reserva Indígena.

O cacique (33), residente na comunidade indígena Guató, assumiu a autoria e a responsabilidade por todo pescado e pela irregularidade. Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia Federal e responderá por crime ambiental. O cacique também foi autuado administrativamente e multado em R$ 22.630,00. O pescado, um frízer e a embarcação foram apreendidos.

Desde o período de defeso, a PMA recebia denúncias de pesca e comércio ilegal de pescado pelos indígenas, com uso da lancha apreendida hoje. Para obter êxito na apreensão, os Policiais permaneceram por dias no rio Paraguai. Para se ter ideia da importância de realizar a detenção desses indígenas que praticavam pesca predatória e cessar a depredação, durante todo o ano passado, a PMA apreendeu somente 3,6 toneladas de pescado em todo o Estado. Com eles, de uma única vez, mais de uma tonelada.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL – PMMS


Estimulamos o debate suadável. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato