Últimas Notícias

Indonésia destrói 81 barcos que praticavam pesca ilegal no país

As autoridades da indonésias destruíram nesse sábado (01), mais 81 navios estrangeiros apreendidos por praticarem pesca ilegal nas águas do país. Os navios foram explodidos no mar em 12 pontos ao redor do arquipélago, incluindo as Ilhas Riau, Kalimantan Oeste e Norte, Medan e Sumatra do Norte.

A maioria dos barcos (26) foram afundados  nas ilhas Natuna, na proximidade com o Mar da China Meridional e 10 no porto próximo de Tarempa. A maioria dos navios eram do Vietnã, Filipinas, Malásia e Tailândia.

A Indonésia defende a sua soberania no combate a pesca ilegal, disse Susi Pudjiastuti, ministra dos Assuntos Marítimos e de Pesca, que testemunhou o naufrágio de dois navios no porto de Ambon, na província de Maluku.

“Estamos afundando os navios como forma de alerta para embarcações estrangeiras para que não venham para as nossas águas para roubar nossos peixes”, disse para a CNN Indonésia, acrescentando que avisos foram enviados aos países relevantes para lhes dizer sobre as ações de Jacarta contra a pesca ilegal.

O declínio nos estoques de peixes no norte da Ásia tem crescido, visto que barcos entram em águas territoriais de nações do Sudeste Asiático, como a Indonésia, muitas vezes escoltados por guardas armadas da costa do seu país de origem, o que aumenta o potencial de confrontos no mar.

A Indonésia tomou uma posição dura contra a pesca ilegal desde que o presidente Joko Widodo assumiu o cargo em 2014.  Desde que Pudjiastuti foi nomeada para o Gabinete em outubro desse ano, a Indonésia afundou 317 navios, incluindo embarcações Chinesas, que afirma que as águas que cercam as ilhas Natuna, ricas em gás, fazem parte de suas pescarias tradicionais.

A Indonésia disse que não mantém disputas marítimas ou territoriais com a China no Mar da China Meridional, mas as reivindicações de Pequim sobrepõem 200 milhas náuticas da Indonésia, zona econômica exclusiva em torno do Natunas.

Ainda assim, a repressão da Indonésia contra a pesca ilegal pode reverter os estoques de pesca e trazô-los de volta ao patamar considerado normal em dois a três anos, disse Pudjiastuti em setembro passado. As investidas do país contra a pesca ilegal recuperaram cerca 6,6 milhões de toneladas, de um mínimo de 2,5 milhões de toneladas, e deverão ser sustentáveis ​​em 9,9 milhões de toneladas este ano.


Estimulamos o debate amistoso. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato