Últimas Notícias

“Monstro marinho” jurássico é encontrado na Índia

Ossos recém-descobertos no noroeste da Índia pertenceram a um “monstro marinho” do tamanho de um pequeno barco que rondava as águas profundas e escuras do oceano há mais de 150 milhões de anos.

O fóssil é um esqueleto quase intacto de um ictiossauro, grupo de répteis marinhos que aterrorizou os mares durante a era dos dinossauros. Esses animais eram os golfinhos e baleias de sua época: animais esbeltos com olhos enormes, maxilas estreitas e dentes em forma de cone que se alimentavam de peixe.

O ictiossauro indiano, que viveu entre 152 e 157 milhões de anos atrás, é o primeiro monstro marinho jurássico encontrado na região. Revelado na revista científica PLOS ONE, o fóssil agora ajuda paleontólogos a entender melhor como os ictiossauros se espalharam pelo mundo antigo.

“Essa é uma descoberta fantástica e, de longe, o melhor esqueleto de ictiossauro já encontrado na Índia”, afirma Steve Brusatte, paleontólogo da Universidade de Edimburgo que não estava envolvido no estudo.

“Os fósseis de ictiossauro são comuns nos continentes do norte, mas é muito raro encontra-los ao sul”, acrescenta Brusatte. Em termos globais, a maioria dos fósseis deste grupo foi encontrada na América do Norte e na Europa.

“Portanto, este novo esqueleto pode revelar muitos segredos sobre a evolução e biogeografia do ictiossauro”.

PACOTE COMPLETO
Paleontólogos indianos encontraram o fóssil ao sul do vilarejo de Lodai, na província indiana de Gujarat.

O esqueleto do ictiossauro estava encravado em rochas sedimentares extremamente duras e retirá-lo exigiu um trabalho extenuante: o clima da região é árido e severo, com temperaturas atingindo mais de 35ºC.

Após 1,5 mil horas de escavação, a equipe desenterrou o esqueleto incrivelmente preservado. A espinha dorsal do ictiossauro ainda estava em linha contínua, e a barbatana esquerda manteve a forma que tinha em vida.

Guntupalli V.R. Prasad, paleontólogo da Universidade da Índia, em Deli, que estuda os vertebrados da era dos dinossauros, diz que o achado foi uma surpresa. “Eu não fiz muitas pesquisas sobre os fósseis de vertebrados dessa região anteriormente, pois a área era considerada pobre em termos de fósseis de vertebrados”, diz ele.

Prasad rapidamente percebeu a magnitude do achado. O fóssil não só é o ictiossauro indiano mais completo já encontrado, como também é o primeiro do período jurássico encontrado no país. “Todos os achados anteriores são cerca de 50 milhões de anos mais novos e consistem apenas em dentes ou vértebras malconservadas”, afirma Prasad.

PRESA DIFÍCIL
Na era do ictiossauro, essa região da Índia estava coberta por um mar tropical, em que o réptil de 5 metros de comprimento rondava em busca de refeições. Os dentes quebrados e desgastados sugerem que se alimentava de presas difíceis, como peixes encouraçados e amonites – moluscos com conchas espirais que lembram os nautilóides de hoje.

A equipe também descobriu que o ictiossauro indiano está intimamente relacionado com os membros do grupo encontrados mais ao norte – evidência da globalização dos monstros marinhos.

Juntamente com a evidência de fósseis de invertebrados, a descoberta do ictiossauro sugere que havia uma enorme via marítima que cruzava o continente antigo de Gondwanaland, atravessando uma área que se dividiu no que é hoje o oeste da Índia, Madagascar e América do Sul.

Caso isso seja verdade, os paleontólogos poderão ter um vislumbre de como a vida marinha se espalhou através dos oceanos jurássicos.

“Essa descoberta ajuda a mostrar como os ictiossauros estavam espalhados por todo o mundo durante a era dos dinossauros. Eles parecem ter vivido em todos os oceanos, em todo o mundo, na mesma época em que os dinossauros caminhavam pela terra”, diz Brusatte.

National Geographic


Estimulamos o debate amistoso. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato