Últimas Notícias

Deputado reapresenta projeto que proíbe pesca de dourado por 8 anos em MS

O deputado Beto Pereira (PSDB) reapresentou nessa quinta-feira (28), o projeto que proíbe a pesca, transporte e comercialização do dourado, por um período de oito anos nos rios de Mato Grosso do Sul. O tucano explicou que não existe nenhuma mudança sobre a matéria anterior, mas que desta vez confia no apoio e aprovação da medida na Assembleia.

O projeto foi votado e rejeitado pelos deputados em junho do ano passado, por um placar apertado de nove contra oito, sendo necessário naquele dia, o “voto de minerva” do presidente da Assembleia, o deputado Junior Mochi (MDB). Quem se posicionou contra justificou que se precisava de um estudo mais aprofundado sobre o tema.

Beto explicou que apresentou um ano depois, porque acredita que hoje o “cenário político” esteja mais favorável, e que a conscientização ambiental seja maior. “Consegui a assinatura de 13 deputados na matéria, mostrando que estamos no caminho certo, também iremos debater o tema novamente”.

O deputado reconheceu que vai existir “pressão” de associações e entidades de pescadores, como ocorreu ano passado, porém acredita que os colegas “não vão voltar atrás” sobre o apoio. “Vamos esclarecer todas as dúvidas e mostrar aos deputados que é necessário esta restrição”.

Estudo Sobre a Proteção
Junior Mochi que “desempatou” a votação no ano passado, alega que já pediu ao Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) um estudo sobre o plano de manejo da pesca no Estado. “A intenção é saber não apenas do dourado e sim de todas as espécies, para listarmos quais são as ameaçadas e que ações devem ser feitas”.

Ele revelou que o Instituto já confirmou que está implantando este estudo e em breve terá todo este contexto definido e analisado. “Votei contra porque entendi que legislar sobre o dourado era uma ação isolada e precisamos de lago mais amplo”, pontuou.

Objetivo do Projeto
Beto ressaltou que a preocupação é que no futuro haja a extinção da espécie, alegando que a proibição por oito anos iria contribuir para a reprodução de quatro gerações. A multa para quem desobedecer será de 200 a 10 mil Uferms e pode provocar a interdição total do estabelecimento, assim como suspensão de licença.


Estimulamos o debate amistoso. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato