Últimas Notícias

Pescadores protestam contra danos ambientais no Reservatório de Itaipu

Pescadores se reuniram em frente ao portão da Usina de Itaipu no início da manhã desta terça-feira (11) (Foto: Caio Vasques / RPC TV)Pescadores fizeram um protesto na manhã desta terça-feira (10) em frente ao portão da Hidrelétrica de Itaipu, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. O grupo de cerca de 200 profissionais aponta uma série de danos ambientais causados pela construção da usina e exige melhorias, além de indenização por supostas perdas. Entre os manifestantes estão pescadores de Foz do Iguaçu e de Guaíra, municípios ribeirinhos ao Lago de Itaipu. A manifestação promete se repetir na quarta (11) e na quinta-feira (12).

Segundo o presidente da Col√īnia de Pescadores Z-12, Fl√°vio Kabroski, esp√©cies de peixes nobres como surubi, ja√ļ e dourado, antes bastante comuns na regi√£o s√£o raramente encontrados. ‚ÄúHoje o que se v√™ s√£o esp√©cies de terceira, como armado, corimba e pacu, produzido em tanques-redes‚ÄĚ, aponta. Com o objetivo de diversificar as esp√©cies, os pescadores sugerem que seja permitida a cria√ß√£o de til√°pias. A proposta depende de autoriza√ß√£o do Paraguai, com quem o Brasil divide o reservat√≥rio.

Na sexta-feira (6), representantes de Itaipu apresentaram novidades ligadas à produção pesqueira no lago: um projeto de instalação de uma unidade demonstrativa para o cultivo de peixe em tanques-rede, a regularização da licença de operação de três parques aquícolas Рonde atuam 73 pescadores e produção média de seis toneladas de pacu por ano -, e a continuidade da coleta de dados para a estatística pesqueira, proposta que ainda não foi assinada por todas as prefeituras da região.

Dados da pr√≥pria hidrel√©trica apontam que a regi√£o conta hoje com oito col√īnias, duas associa√ß√Ķes uma cooperativa de pescadores que re√ļnem perto de 850 profissionais. A pesca extrativa gera cerca de 1,1 tonelada de peixe por ano. J√° a produ√ß√£o em tanques-rede chega a 70 toneladas, podendo atingir a marca de 170 toneladas por ano quando os programas de melhorias estiverem todos implantados e operando com a capacidade m√°xima.

Em nota, a Itaipu garantiu que desde a forma√ß√£o do reservat√≥rio monitora a produ√ß√£o pesqueira na regi√£o e que as informa√ß√Ķes s√£o repassadas pelos pr√≥prios pescadores. Os resultados, refor√ßa, apontam para o aumento na captura de peixes. ‚ÄúEsse aumento se deve em grande parte √† exist√™ncia do Canal da Piracema, que permite que as esp√©cies migradoras fa√ßam a reprodu√ß√£o a montante (acima da barragem), e √† pr√≥pria qualidade da √°gua que melhorou devido ao aumento da consci√™ncia ambiental‚ÄĚ, al√©m do ‚Äúdi√°logo constante com as col√īnias de pescadores‚ÄĚ.

Perto das 13h30, o acesso de trabalhadores e turistas √† usina foi bloqueada pelo grupo por cerca de meia hora. E, no fim da tarde, depois de um encontro com representantes da hidrel√©trica, os pescadores decidiram suspender o protesto. Uma agenda de negocia√ß√Ķes ficou acertada entre a binacional e os manifestantes.

Leia a íntegra da nota divulgada pela Itaipu Binacional
Em rela√ß√£o √† manifesta√ß√£o das col√īnias de pescadores de Gua√≠ra e Foz do Igua√ßu ocorrida nesta manh√£ de ter√ßa-feira, 10 de setembro, a Itaipu esclarece que, desde 1987, monitora com estat√≠stica a produ√ß√£o pesqueira no reservat√≥rio. Os pr√≥prios pescadores fornecem informa√ß√Ķes di√°rias. E que os resultados mostram uma evolu√ß√£o crescente na captura de peixes no reservat√≥rio.

Dos reservatórios da Bacia do Paraná, o de Itaipu é considerado o mais produtivo. Esse aumento se deve em grande parte à existência do Canal da Piracema, que permite que as espécies migradoras façam a reprodução a montante (acima da barragem), e à própria qualidade da água que melhorou devido ao aumento da consciência ambiental.

Hoje, a captura no reservat√≥rio de Itaipu, de Foz a Gua√≠ra, fica em torno de 1.300 toneladas de peixe por ano. N√£o existem informa√ß√Ķes oficiais da atividade pesqueira no rio, antes da forma√ß√£o do reservat√≥rio.

Os dados atuais fazem parte da estat√≠stica pesqueira realizada pelo Nup√©lia (N√ļcleo de Pesquisa de Liminologia, Ictiologia e Apicultura), da Universidade Estadual de Maring√°, em parceria com as col√īnias de pesca lindeiras ao reservat√≥rio e a Itaipu.

Itaipu mant√©m di√°logo constante com as col√īnias de pescadores. Tanto isso √© verdade que na √ļltima sexta-feira, dia 6 de setembro, Itaipu assinou, em Santa Helena, um conv√™nio com representantes de col√īnias, associa√ß√Ķes e cooperativas, visando a continua√ß√£o da atividade pesqueira no reservat√≥rio. Itaipu tamb√©m tem sido pioneira na demarca√ß√£o de parques aqu√≠colas em reservat√≥rios.

Mesmo entendendo que a manifesta√ß√£o n√£o representa os interesses de toda a comunidade pesqueira da regi√£o, a empresa vai analisar a pauta de reivindica√ß√Ķes e dar uma resposta ao movimento. Das oito col√īnias existentes, que atuam no reservat√≥rio, apenas duas aderiram √† manifesta√ß√£o.

http://g1.globo.com


Estimulamos o debate suadável. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato