Últimas Notícias

Tartarugas marinhas são encontradas mortas enroladas à rede de pesca no ES

Tartarugas mortas em rede de pescaPelo menos 27 tartarugas marinhas foram encontradas mortas, enroladas em uma rede de pesca na manhã desta quarta-feira (9), em uma praia da Barra do Jucu, em Vila Velha, no Espírito Santo. Segundo um guarda-vidas que trabalha no local, moradores da região se uniram à equipes de resgate da empresa CTA e do Projeto Tamar para auxiliar no resgate, mas nenhum animal foi retirado da água com vida. Segundo a bióloga Jordana Borini, um pedaço da rede ainda está na água, e há chances de mais tartarugas estarem presas.

O guarda-vidas, que preferiu não se identificar, contou que a rede onde estavam as tartarugas foi encontrada por pescadores, por volta das 9h30 da manhã. Ele, outro guarda-vidas e moradores da região também se mobilizaram para fazer a retirada dos animais. “Já tínhamos visto casos como esse, mas não nessa proporção. Todo mundo ficou revoltado”.

A bióloga Jordana Borini, do Projeto Tamar, explicou que toda as atartarugas eram juvenis, com no máximo, quatro anos de vida, e que a rede trata-se de um rede de espera. Nessa prática, o pescador arma uma rede fixa, estendida na água, e ‘aguarda’ os peixes. De acordo com a bióloga, esse tipo de rede não poderia ter sido usado no local. “Essa rede estava armada na foz do rio Jucu. Além de ser um local proibido, o instrumento foi deixado lá por muito tempo. Acreditamos que ela tenha sido colocada na noite de ontem (8) e ficou até hoje pela manhã”, explicou.

Ainda de acordo com Jordana, a morte de tantos animais da mesma espécie causa um grande prejuízo para a natureza. “Temos cinco espécies de tartaruga marinha no brasil e todas correm risco de extinção. Essa perda gera um declínio ainda maior da população de tartarugas.


Estimulamos o debate amistoso. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Pesca Amadora. Mensagens consideradas ofensivas serão excluidas automaticamente. Dúvidas e perguntas acesse a página de contato